Todos os cuidados são tomados pela equipe multidisciplinar para evitar que pacientes tomem doses de remédios em excesso.

 

Todos os medicamentos prescritos dentro do Hospital de Campanha Estadual (HCE) são monitorados pela equipe de farmácia através de um sistema de informação hospitalar. Essa ferramenta não só evita que os pacientes tomem remédios em dose excessiva, como também permite que os farmacêuticos consigam acompanhar as medicações sem precisar entrar em contato com os pacientes, o que é fundamental, dado o risco de contaminação por Covid-19.

O sistema foi planejado especificamente para o HCE e inclui dados dos pacientes e dos tratamentos realizados. “O Hospital de Campanha Estadual terceirizou a aquisição do sistema de informação hospitalar que foi todo customizado e parametrizado para a nossa realidade do hospital, de acordo com as nossas necessidades. O sistema possui o prontuário eletrônico, ou seja, todo o processo clínico é digitalizado no sistema de informação, que possibilita também o gerenciamento do próprio hospital no que concerne a insumos, material hospitalar e medicamentos”, explicou Joel Rodrigues, coordenador geral do Projeto de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PDI) da UFPI para o HCE.

A farmacêutica Ana Clara Jovita explica como o sistema traz segurança quanto à dosagem prescrita. “Nós temos acesso às prescrições e verificamos se temos a dose do medicamento adequada, de acordo com o Protocolo Covid-19. Por exemplo, se um medicamento deve ser ministrado durante cinco dias de internação, no sexto dia essa medicação deve ser dispensada. Então, se ela vier prescrita novamente, a minha intervenção enquanto farmacêutica é entrar em contato com o médico para ver se essa medicação deve ser dispensada ou não”.

A farmacêutica explicou que também há o acompanhamento dos medicamentos que os pacientes já utilizavam rotineiramente devido à alguma comorbidade. “Se um paciente é hipertenso e toma uma medicação, a equipe de farmácia concilia com as medicações prescritas pelos médicos. Isso evita que o paciente tome medicações em excesso e venha ter alguma complicação medicamentosa adversa”, afirmou.

No momento, 33 pacientes estão sendo tratados pela equipe multidisciplinar do Hospital de Campanha Estadual (HCE). Outros 234 pacientes passaram pela unidade de saúde e receberam alta.